Aleitamento artificial para filhotes

Aleitamento Artificial para Filhotes

Aleitamento Artificial para Filhotes

Entenda o que é…

A maior parte dos filhotes (de cães ou de gatos) nasce bem e são amamentados pelas suas mães sem precisar de assistência humana. Porém, podem acontecer problemas com a mãe e então teremos que cuidar intensamente destes filhotes para que eles tenham condições de crescerem e se desenvolverem com boa saúde e nutrição. Então entra o Aleitamento Artificial para Filhotes.

Ou porque alguém cruelmente abandonou, ou porque a mãe faleceu durante o parto ou mesmo porque a mãe está rejeitando os filhotes e não quer amamentar. Algumas vezes a cadela tem muito mais filhotinhos do que pode amamentar, ou não tem uma alimentação adequada durante a gestação e ao parir fica muito fraca, ou tem alguma deficiência metabólica. Quando uma dessas coisas acontece, considerado sempre como uma catástrofe, poderá, entretanto, ser superado com sucesso se todas as necessidades de cada filhote forem supridas por outros meios.

Aleitamento artificial para filhotesNo caso dos recém-nascidos órfãos, a alternativa mais óbvia para diminuir a mortalidade é a substituição da mãe ausente por outra em estágio de lactação apropriado (ama de leite). Porém esta medida nem sempre é possível, pois requer uma grande coincidência para a substituição e um grande intercâmbio entre criadores; além disso, as fêmeas podem rejeitar os filhotes por não os reconhecer como seus. Caso a adoção seja eficiente e em período de lactação adequado, tornam-se dispensáveis quaisquer outros cuidados, uma vez que a mãe adotiva os fará.

Nos casos onde a fêmea não foi eficiente, o proprietário deverá substituir as funções da mãe. Estas funções abrangem a nutrição dos filhotes, manutenção da temperatura corpórea e estímulos que garantam a realização das funções vitais dos recém-nascidos. É aí que o aleitamento artificial de filhotes torna-se necessário.

Através desse aleitamento, você pode ajudar a manter os filhotes bem nutridos, para que eles cresçam fortes e saudáveis. Quando a mamãe está presente e pode ajudar a amamentar, a tarefa do aleitamento artificial se torna um pouco mais fácil, pois ela se torna uma forma de auxiliar na nutrição e não o único alimento do filhote. Já quando a mãe adoece e apresenta algum tipo de problema e não pode amamentar ou nos casos em que a cadela morre durante o parto, toda a alimentação dos filhotinhos precisará ser realizada com a mamadeira. Essa tarefa não é simples. Mesmo com muita dedicação, amor e carinho, muitas vezes eles não sobrevivem.

Dicas para amamentar artificialmente o filhote

A hora da alimentação é um momento muito bonito, entretanto também pode ser difícil prestar assistência aos bebês. Dar mamadeira pode passar de sonho a pesadelo em um minuto, principalmente se o filhote aspirar parte do leite para os pulmões, que não é difícil de acontecer se não tivermos muito cuidado.

Aleitamento artificial para filhotesAo alimentar um filhote órfão, ou um filhote em que a mãe não pode amamentar adequadamente, é necessário ter paciência, cuidado, horário rígido e uma mamadeira adequada para o tamanho da boca do filhote, com um bico que não passe muito líquido de uma vez.

Não utilize seringas, conta-gotas ou sondas, a menos que você saiba exatamente como fazer o aleitamento usando estes instrumentos. O estômago dos filhotes é muito pequeno e caso o leite entre rápido demais por sua garganta pode ir parar nos pulmões e afogar o animalzinho.

Como escolher e como usar corretamente a mamadeira

Aleitamento artificial para filhotesOpte por mamadeiras fabricadas para filhotes e que possuam bicos sem furos ou cortes. Embora não seja fácil acertar o tamanho do furo que deve ser feito no bico da mamadeira, é importante que o mesmo não deixe o filhote frustrado pela falta de leite, ou que ele corra o risco de engasgar com um fluxo muito grande de líquido.

Em uma mamada normal, o filhote tem que fazer força para sugar a teta de sua mãe, portanto, é importante que haja resistência do leite ao sair. Experimente fazer um furo com uma agulha ou alfinete quente no bico de borracha, ou faça um talho em X com a ajuda de uma lâmina fina, esterilizada. Evite cortar um buraco com tesoura, pois não será possível corrigir o tamanho do orifício.

Faça um teste virando a mamadeira com o bico para baixo:

  • Se você precisa apertar um pouquinho no bico da mamadeira para o leite sair, significa que o furo está correto;
  • Se o leite pingar ou sair sem apertar, significa que o furo ficou grande. Adquira um novo bico e faça um furo menor. O bico com furo grande pode ser reservado para quando o filhote estiver perto de desmamar completamente.

Qual é o melhor leite e como prepará-lo

O mais indicado é comprar o leite próprio para filhotes de cães ou gatos que você encontra na maioria dos pet shops. No mercado há várias marcas de leite, portanto escolha um leite substituto de qualidade superior. Não use leite de vaca ou outras receitas caseiras a não ser que sejam sob a supervisão e orientação de um veterinário, pois os filhotes recém-nascidos precisam de uma grande quantidade de energia para crescerem saudáveis, evitando o desequilíbrio nos nutrientes que pode ser extremamente prejudicial.

Você sabia, por exemplo, que o leite de vaca conta com menos proteína e gorduras, e possui uma quantidade maior de lactose, do que o leite das cachorras? Portanto, não dê leite

de vaca para os cachorrinhos, porque contempla uma alta quantidade de lactose e possui pouca gordura. Por isso, é importante consultar um veterinário para maiores informações e esclarecimentos, para essa situação. Assim, o aleitamento artificial auxilia a manter a saúde e a boa alimentação dos cães filhotes.

Prepare o leite conforme as recomendações do fabricante ou de acordo com a orientação do seu veterinário. É importante saber que cada fabricante de leite tem uma concentração diferente de nutrientes em sua fórmula e, por isso, a diluição pode variar de marca para marca.

Sempre utilize água fervida para preparar o leite substituto, já que o filhote ainda não possui imunidade suficiente para se defender contra os microrganismos que vivem na água. Aqueça o leite a uma temperatura de cerca de 38ºC, pois é a temperatura média da mãe. Como os filhotes recém-nascidos ainda não possuem mecanismos para manter a temperatura do próprio corpo, um leite em baixa temperatura irá deixá-lo com frio e pode ser fatal.

A técnica e os cuidados ao amamentar

– Nos três primeiros dias de vida o leite deve ser oferecido a cada meia hora para os filhotes. Esse leite artificial deve sempre estar morninho e fresco. É importante lembrar que eles ainda não saberão mamar na mamadeira e a pessoa precisará ajudar.

Aleitamento artificial para filhotes– Coloque o filhote com a barriguinha para baixo e com a cabeça elevada, assim como ele ficaria ao mamar na mãe. Posicione a mamadeira de forma a não entrar ar pelo bico. A quantidade a ser dada por vez é pequena, pois o estômago deles é muito pequeno. Nunca o segure de outra maneira na hora de amamentar, pois se a mamadeira for dada errada ele poderá aspirar o leite e morrer. Do quarto dia em diante você poderá alimentá-lo a cada duas horas.

– Caso o filhote esteja com muita fome e sugar rápido de forma que pingue leite para fora da boca, retire o bico de sua boca e aguarde um minuto, afim de que ele consiga engolir todo o líquido que está na boca.

– Caso saiam bolhas de leite pelo nariz do filhote é sinal de que o furo no bico da mamadeira está muito grande, ou que você está apertando bastante o corpo da mamadeira, fazendo com que o fluxo de líquido esteja grande e saindo muito rápido.

– Jogue fora qualquer resto de leite que sobre depois de uma rodada de alimentação.

– Limpe e esterilize os bicos e a mamadeira após cada mamada.

– Os filhotes bem novinhos precisam ser alimentados de duas em duas horas ou, no máximo, em intervalos de três horas.

Aleitamento artificial para filhotes– Para o organismo dos recém-nascidos suportarem o desenvolvimento acelerado eles precisam de uma quantidade enorme de energia. Então, é fundamental que eles se alimentem também durante a noite.

– Durante o primeiro mês de vida, use uma balança de cozinha para pesar seus filhotes todos os dias para saber se ele está se desenvolvendo bem. É importante que ele ganhe peso de forma constante. Se isso não estiver acontecendo, fale com o veterinário o quanto antes para que ele possa lhe orientar.

– Após alimentá-los, com uma toalha úmida em água morna, massageie a barriguinha dos filhotes para que o intestino seja estimulado. É preciso limpar e massagear a região anal e a região urinária para que o filhote possa se aliviar. Embora muita gente não saiba, os filhotes com menos de quatro semanas de vida não fazem xixi e cocô se não forem estimulados. Normalmente a mãe se encarrega da tarefa lambendo a barriga e a região anal do filhote. Quando ela não está presente, ou por alguma razão não segue seu instinto maternal, caberá ao dono estimular o funcionamento do intestino do filhote, usando um chumaço de algodão ou gaze úmida em água morna, e massagear o bumbum do filhote depois de cada mamada. Essa rotina é fundamental para sua sobrevivência.

– Se tudo estiver bem durante as primeiras semanas, seu filhote vai precisar fazer uma consulta pediátrica com o médico veterinário apenas a partir das seis semanas de vida, para preparar a agenda de vacinas, vermífugos, escolha da melhor ração, etc.

Depois de tomar todos esses cuidados, tenho certeza que seu filhote começará a brincar, cheio de energia e saúde, para alegrar e a sua família!

Obrigado pela leitura, se ainda tiver um tempo, sugerimos a leitura do post “Tudo que você precisa saber sobre o cuidado com a tartaruga” – Tema muito interessante.

Visite nossa loja Finofaro Loja

 

Deixe uma resposta